Policia: Grupo que se passou por 17 senadores e deputados é alvo de operação

Créditos da foto: reprodução/web

Na madrugada desta terça-feira (27), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou a operação “Alto Escalão 2” contra um grupo que se passou por 17 senadores e deputados para aplicar golpes em redes sociais.

A ação, com apoio das polícias civis do Piauí (PCPI) e Maranhão (PCMA), cumpre oito mandados de busca e apreensão nas cidades de Timon (MA) e Teresina (PI). O objetivo é aprofundar as investigações e identificar todos os integrantes da organização criminosa atuante em todo o Brasil, especializada em crimes de fraude eletrônica.

Segundo o inquérito, a associação criminosa é formada por um homem de 26 anos de idade e quatro mulheres – de 22, 25, 41 e 43 anos -, apontados como os responsáveis por contatar as vítimas e se passar por políticos, especialmente senadores, em perfis falsos do Whatsapp.

Segundo o delegado Ataliba Neto, responsável pela 5ª Delegacia de Polícia, os autores que se passando por parlamentares entravam em contato com as vítimas e informavam que havia uma doação disponível, porém, devido a um prazo que estava em vias de se esgotar, solicitavam empenho das vítimas em efetuar um depósito em dinheiro ao motorista de um caminhão em que os produtos estariam para poderem ser entregues na região da vítima.

Durante a investigação, foram identificados os seguintes parlamentares como vítimas:

Senadores:
Humberto Costa, PT-PE
Paulo Paim, PT-RS
Teresa Leitão, PT-PE
Ana Paula Lobato, PSB-MA
Carlos Viana, Podemos-MG
Soraya Thronicke União-MS
Marcio Bittar, União-AC
Esperidião Amin, PP-SC
Luis Carlos Heinze, PP-RS
Marcelo Castro, MDB-PI
Vanderlan Cardoso, PSD-GO

Deputados:
André Janones, Avante-MG
Rogério Corrêa, PT-MG
Natalia Bonavides, PT-RN
Diego Andrade, PSD-MG

Prefeitos
Amazan Silva, Jardim do Seridó – RN
Paulo Roberto Leite de Arruda, Vitória de Santo Antão – PE

A investigação teve início em junho de 2023, após alguns senadores vítimas procurarem a delegacia para comunicar a prática de crimes usando os seus nomes. Os autores devem responder pelos crimes de associação criminosa, falsa identidade e estelionato, cujas penas somadas podem atingir nove anos de reclusão.

CNN Brasil

Mercadinho Deus Proverá
WebRadio_Site_Movel
AnuncieAqui_Movel
Ediuny_Oliveira_Live
Copiadora-Miranda_Banner_B
Almoçando com Musicas
Drogaria Betesta
Show da Manha
EliasRaioX
Carnaval_Guamare_2024_Sabado
Torneio_Expedito_2024
RadiosNet_Fixo
App
Carnaval_Guamare_2024_Terca
Radios_Online_Fixo
Pagode & Cia_Lateral
Casa Durval Paiva_Fixo
LBV_Lateral
HSHOT_500
Carnaval_Guamare_2024_Segunda
Guedes-Motos
Anuncie Aqui
SindSerg_Lateral
CX_Radios_Fixo
Carnaval_Guamare_2024
Eduardo-Auto-Pecas
Corrida_Guamaré
Carnaval_Guamare_2024_Domingo