A arte puhoro de Hirini Katene | Reprodução / Instagram

OGlobo – Um tatuador neozelandês desabafou nas redes sociais após ter um vídeo de seu trabalho excluído do Facebook sob alegações de conteúdo sexual inapropriado. Hirini Katene publicou o vídeo de uma tatuagem puhoro – estilo maori tradicionalmente tatuado nas coxas e nádegas masculinas – para divulgar sua arte. Ao ‘OneNews’, ele contou que a tatuagem levou três dias e meio para ficar pronta, e que todo o desenho representa a origem e genealogia de seu cliente. No vídeo, as partes íntimas estavam escondidas pelas mãos do tatuado. A rede social de Mark Zuckerberg, no entanto, considerou o trabalho sexualmente explícito.

— Estou com tanta raiva, algum idiota reportou [ao Facebook] que meu último post é de alguma forma explícito. Por favor, se isso te ofende, não reporte, isso é parte da minha cultura e do meu trabalho. Eu não vejo um homem pelado, eu vejo uma obra de arte e whakapapa [ancestralidade] — desabafou em sua página oficial.

Mesmo com o vídeo deletado, Katene publicou um série de fotos do mesmo trabalho que até o momento permanecem visíveis na rede social.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here